ASTM D445 - 19a

    Método de ensaio padrão para Viscosidade cinemática de líquidos transparentes e opacos (e cálculo de viscosidade dinâmica)

    Active Standard ASTM D445 Developed by Subcommittee: D02.07

    Book of Standards Volume: 05.01


      Format Pages Price  
    PDF 25 $56.00   ADD TO CART

    Historical Version(s) - view previous versions of standard

    Translated Standard(s): English

    ASTM License Agreement

    More D02.07 Standards Related Products


    Significance and Use

    5.1 Muitos derivados de petróleo, e alguns materiais não petrolíferos, são usados como lubrificantes e a operação correta do equipamento depende da viscosidade apropriada do líquido que está sendo usado. Além disso, a viscosidade de muitos combustíveis petrolíferos é um fator importante para a estimativa de armazenamento, manuseio e condições operacionais ideais. Assim, a determinação precisa da viscosidade é essencial para muitas especificações de produto.

    1.1 Este método de ensaio especifica um procedimento para a determinação da viscosidade cinemática, ν, de derivados de petróleo, transparentes ou opacos, ao calcular o tempo que um volume de líquido gasta para fluir por gravidade por meio de um viscosímetro capilar de vidro calibrado. A viscosidade dinâmica, η, pode ser obtida multiplicando a viscosidade cinemática, ν, por densidade, ρ, do líquido.

    OBSERVAÇÃO 1 – para a medição da viscosidade cinemática e a viscosidade de betumes, consulte também os Métodos de ensaio D2170 e D2171.

    OBSERVAÇÃO 2 – ISO 3104 corresponde ao Método de ensaio D445 – 03.

    1.2 O resultado obtido com este método de ensaio depende do comportamento da amostra e destina-se à aplicação de líquidos aos quais a tensão de cisalhamento e as taxas de cisalhamento são proporcionais (comportamento do fluxo newtoniano). Se, contudo, a viscosidade variar significativamente com a taxa de cisalhamento, resultados diferentes podem ser obtidos de viscosímetros de diferentes diâmetros capilares. Os valores de precisão e procedimento para óleos combustíveis residuais, que sob as mesmas condições exibem o comportamento não newtoniano, foram incluídos.

    1.3 A faixa de viscosidades cinemáticas abordada por este método de ensaio é de 0,2 mm2/segundo a 300 000 mm2/segundo (consulte a Tabela A1.1) em todas as temperaturas (consulte 6.3 e 6.4). A precisão só foi determinada para esses materiais, faixas de viscosidade cinemática e temperaturas como descritas nas notas de rodapé para seção de precisão.

    1.4 Os valores indicados no sistema internacional de unidades (SI) devem ser considerados como padrão. A unidade do SI usada neste método de ensaio para viscosidade cinemática é mm2/segundo, e a unidade do SI usada neste método de ensaio para viscosidade dinâmica é mPa·s. Como referência para o usuário, 1 mm2/segundo = 10-6 m2/segundo = 1 cSt e 1 mPa·s = 1 cP = 0,001 Pa·s.

    1.5 AVISO – o mercúrio foi classificado por muitos órgãos reguladores como um material perigoso que pode causar danos ao sistema nervoso central, aos rins e ao fígado. Mercúrio, ou seu vapor, pode ser perigoso para a saúde e corrosivo para materiais. Tenha cuidado ao manusear mercúrio e produtos contendo mercúrio. Consulte a ficha de dados de segurança do material aplicável (FISPQ) para obter para mais informações. A venda de mercúrio e/ou de produtos contendo mercúrio em seu estado ou país pode ser proibida por lei local ou nacional. Os usuários devem determinar a legalidade das vendas em sua instalação.

    1.6 Esta norma não pretende abordar todas as preocupações de segurança, se houver, associadas à sua utilização. É responsabilidade do usuário desta norma estabelecer práticas apropriadas de saúde, segurança e meio ambiente e determinar a aplicabilidade das limitações regulatórias antes do uso.

    1.7 Este padrão internacional foi desenvolvido de acordo com os princípios internacionalmente reconhecidos sobre padronização estabelecidos na Decisão sobre os Princípios para o desenvolvimento de normas, guias e recomendações internacionais emitidos pelo Comitê de obstáculos técnicos ao comércio (TBT) da Organização Mundial do Comércio.