ASTM C1017/C1017M - 13e1

    Especificação padrão para Aditivos químicos para uso na produção de concreto fluido

    Active Standard ASTM C1017 / C1017M Developed by Subcommittee: C09.23

    Book of Standards Volume: 04.02


      Format Pages Price  
    PDF 13 $52.00   ADD TO CART

    Historical Version(s) - view previous versions of standard

    Translated Standard(s): English

    ASTM License Agreement

    More C09.23 Standards Related Products


    1.1 Esta especificação abrange dois tipos de aditivos químicos para serem adicionados a misturas de concreto de cimento hidráulico com o objetivo de produzir concreto fluido. Os tipos são os seguintes:

    1.1.1 Tipo I – plastificante, e

    1.1.2 Tipo II – plastificante e retardador.

    1.2 Esta especificação estipula os ensaios de um aditivo químico com materiais de concretagem de referência ou com materiais de fabricação de concreto propostos para trabalhos específicos. Salvo indicação em contrário do comprador, os ensaios devem ser feitos com materiais de concretagem de referência.

    1.3 Se um aditivo químico ensaiado estiver em conformidade com as disposições desta especificação usando os materiais de referência e sendo considerado para uso com outros materiais para trabalhos específicos, será permitida a realização de outros ensaios para esse uso, desde que acordado entre comprados e fornecedor, e esses ensaios podem consistem em uma parte dos ensaios aqui descritos.

    1.4 Esta especificação fornece três níveis de ensaio.

    1.4.1 Nível 1 – durante a etapa de aprovação inicial, a prova de conformidade com os requisitos de desempenho definidos na Tabela 1 demonstra que os aditivos atendem aos requisitos desta especificação. Os ensaios de uniformidade e equivalência da seção Uniformidade e equivalência de lote devem ser realizados para fornecer resultados com os quais comparações posteriores possam ser feitas.

    1.4.2 Nível 2 – a repetição limitada dos ensaios descrita na seção relacionada aos requisitos gerais pode ser solicitada a intervalos regulares pelo comprador. A prova de conformidade com os requisitos da Tabela 1 demonstra a conformidade contínua do aditivo com os requisitos da especificação.

    1.4.3 Nível 3 – para aceitação de um lote ou medição da uniformidade dentro e entre lotes, quando especificado pelo comprador, devem ser usados os ensaios de uniformidade e equivalência da seção sobre Uniformidade e equivalência do lote.

    1.5 Os valores indicados em unidades de polegada-libra ou em unidades do SI devem ser considerados separadamente. Os valores informados em cada sistema podem não ser equivalentes exatos; portanto, cada sistema deve ser usado independentemente do outro. Os valores combinados dos dois sistemas podem resultar em não conformidade com o padrão. Alguns valores estão apenas em unidades do SI, porque os equivalentes de polegada-libra não são usados na prática.OBSERVAÇÃO 1 – o tamanho da peneira é identificado pela sua designação padrão na Especificação E11. A designação alternativa fornecida em parênteses só tem fins informativos e não representa um tamanho diferente da peneira padrão.OBSERVAÇÃO 2 – recomenda-se que, sempre que possível, os ensaios sejam feitos usando os materiais de fabricação de concreto (cimento, pozolanas, escórias, agregados ou aditivo incorporador de ar), as proporções de mistura, a sequência de dosagem e as outras condições físicas propostas para o trabalho específico. Os efeitos específicos produzidos por aditivos químicos podem variar com as propriedades e proporções dos outros ingredientes do concreto.OBSERVAÇÃO 3 – a temperatura tem um efeito acentuado no tempo de pega do concreto. Isso pode ser exacerbado pelo uso de aditivos Tipos I e II. Se as temperaturas do concreto previstas em uma obra em particular diferirem muito das condições definidas nesta especificação, ensaios adicionais podem ser desejáveis.OBSERVAÇÃO 4 – uma perda incomumente baixa da trabalhabilidade com o tempo, às vezes denominada “perda de abatimento”, pode ser experimentada com esses aditivos. A taxa de perda de abatimento varia com os determinados materiais e proporções de concretagem, equipamentos e procedimentos de mistura e temperaturas experimentadas em qualquer obra em particular. Em temperaturas elevadas, o abatimento pode ser mantido por um período maior se um aditivo Tipo II for usado.OBSERVAÇÃO 5 – os aditivos que contêm quantidade relativamente grandes de cloreto podem acelerar a corrosão de aço de pré-esforço. A conformidade com os requisitos desta especificação não constitui uma garantia de aceitabilidade do aditivo para uso em concreto pré-esforçado (consulte a ACI 318).OBSERVAÇÃO 6 – aditivos que contêm quantidades relativamente grandes de álcali (Na2O + 0,658 K2O) podem contribuir para a reação com alguns agregados. A conformidade com os requisitos desta especificação não garante a aceitabilidade no uso com alguns cimentos e agregados reativos a álcalis.

    1.6 O texto desta norma faz referência às observações e notas de rodapé que fornecem material explicativo. Essas observações e notas de rodapé (excluindo aquelas em tabelas e figuras) não devem ser consideradas requisitos da norma.

    1.7 As seguintes ressalvas de precaução referem-se apenas às seções do método de ensaio desta especificação: Esta norma não pretende abordar todas as preocupações de segurança, se houver, associadas à sua utilização. É responsabilidade do usuário desta norma estabelecer práticas apropriadas de saúde e segurança e determinar a aplicabilidade das limitações regulatórias antes do uso.Aviso – misturas cimentícias hidráulicas frescas são cáusticas e podem causar queimaduras químicas na pele e tecidos após exposição prolongada.

    1.8 Esta norma internacional foi desenvolvida de acordo com os princípios internacionalmente reconhecidos sobre padronização estabelecidos na Decisão sobre os Princípios para o desenvolvimento de normas, guias e recomendações internacionais emitidos pelo Comitê de obstáculos técnicos ao comércio (TBT) da Organização Mundial do Comércio.